Gluten, sim ou não? – Novos estudos revelam o que ninguém esperava!

Já não é a primeira vez que falo sobre sobre o gluten, no entanto decidi voltar escrever sobre este tema tão polémico,e apresentar novos estudos, porque há pouco tempo, quando andava ás compras, no supermercado, passou uma senhora com a sua filha já adulta, pegou num determinado produto para colocar no carrinho de compras, mas a sua filha desaprovou esse produto, porque não tinha no rótulo “sem gluten”.

A mãe perguntou “..então mas porquê?”, e a filha explicou-lhe a teoria comum : ... “..porque provoca inflamação, inchaço e não é saudável. Só quero produtos sem gluten!”.

Estas e outras teorias, têm feito muitas pessoas procurar apenas alimentos sem gluten. Mas será que esta e outras teorias, fazem algum sentido, em termos científicos, ou são apenas boatos e teorias criadas devido a má interpretação da verdadeira informação?

No artigo de hoje, vou explicar-te tudo isso e dar-te a conhecer o que os estudos científicos dizem sobre os alimentos com gluten e sem gluten.

More...

De onde surgiu a teoria do gluten ser inflamatório e prejudicial à nossa saúde?

As pessoas portadoras de doença celíaca têm uma hipersensibilidade ao glúten, que pode ser resultado de uma alergia ou de intolerância ao glúten. Nestas pessoas o glúten provoca danos na mucosa do intestino delgado, impedindo uma digestão normal.

Após eliminar o glúten da dieta, o intestino volta a funcionar com normalidade (após algumas semanas ou meses). Ao longo do tempo, aqueles que são intolerantes ao glúten e que ingerem de uma forma consistente alimentos com glúten, podem desenvolver vários problemas de saúde tais como, dermatite, dor nas articulações, problemas reprodutivos, refluxo ácido, e muito mais.

Foi a partir ​daqui que se generalizou o conceito, de que o gluten é inflamatório. 

OFERTA: 10 Estratégias Para Queimar Mais Gordura! 

Coloca o teu nome e email em baixo, para receber o guia, com estratégias eficientes e cientificamente comprovadas para queimar mais gordura e ficar com abdominal definido!

Mas se o gluten é inflamatório para celíacos, também tem de ser para não celíacos? já vamos ver isso...

Gluten é mesmo prejudicial à saúde?

As pessoas intolerantes a camarão, devem evitar a sua ingestão, mas isto não quer dizer que todas as outras pessoas, também o têm que fazer. Como o camarão, existem também os amendoins, glúten, leite, etc…. O facto de haver pessoas intolerantes a determinados alimentos, não quer dizer que esses alimentos são prejudicais para a saúde da população em geral.

Não existe nenhum estudo cientifico que tenha concluído que a dieta sem glúten tem quaisquer vantagens significativas na população em geral, muito pelo contrário.

Vários estudos concluiram que alimentos com glúten, tal como trigo, centeio e cevada protegem contra o cancro, doenças cardiovasculares, diabetes e obesidade. São ricos em nutrientes e fitoquímicos. Têm altas concentrações de fibras alimentares, são ricos em antioxidantes,vitaminas e minerais.1

Num estudo concluiu-se que uma dieta “Gluten Free” é má para as nossas “boas bactérias” do sistema gastrointestinal, tornando o nosso sistema imunitário mais fraco. 2

Ingerir alimentos com gluten aumenta a capacidade do nosso corpo para combater infecções virais e doenças como o cancro. 3

“Porque é que, quando não como alimentos com gluten, fico menos inchado?"

Existe uma falsa suposição de que o inchaço provocado é um efeito inflamatório do gluten, e que eliminar o seu consumo vai fazer com que fiquemos mais saudáveis. Isso não poderia estar mais longe da verdade.

Muitas pessoas afirmam que quando removeram o glúten da sua alimentação , sentiram uma redução significativa no inchaço e também uma perda de peso. Embora isso possa ser verdade para aqueles que são intolerantes ou sensíveis ao glúten, não há nenhuma evidência de que quem não sofra de doença celíaca ou tenha sensibilidade ao gluten sinta quaisquer benefícios em cortar no glúten, muito pelo contrário.

Muitas vezes o inchaço diminui com a remoção de glúten da dieta porque isso inclui a remoção de amidos na dieta ( (alimentos com glúten contêm amido). Os alimentos com amido contêm bastante fibra.A fibra atrai água para a digestão e isso causa inchaço. 4

Ou seja, ao remover os alimentos com amido (sobretudo farináceos), a sensação de inchaço diminui.

A dieta sem gluten é mais saudável do que uma dieta com gluten?

Um estudo de 2014 comparou mais de 200 produtos “gluten free” (sem gluten), com os mesmos produtos com gluten e encontraram-se grandes diferenças nutricionais entre eles.5

Por exemplo, o pão “gluten free”, tem menos ⅓ da proteína e o dobro da gordura (sobretudo saturada) quando comparado com a versão com gluten.

Outro alimento muito comum, que também foi analisado, foi o esparguete. O esparguete versão “gluten free”, contém menos proteína, mais gordura , menos fibra e mais sódio.

Descobriu-se também que as pessoas que seguem uma dieta sem glúten consomem menos proteína, mais gordura saturada e menos fibra.

O consumo frequente de gordura saturada, aumenta o risco de sofrer de doenças cardiovasculares. 6

Esta conclusão vem confirmar os resultados de um estudo anterior, que diz que uma pessoa que esteja numa dieta sem glúten num prazo superior a 12 meses, sofre de carências de várias vitaminas e minerais. 7

Dieta sem gluten é o melhor para mim?

A menos que sofras de doença celíaca ou sejas sensível ao gluten, cortar a ingestão de alimentos com gluten, só vai ser prejudicial para a tua saúde. Até mesmo por questões de composição corporal, não traz vantagem retirar os produtos com gluten. Os meus clientes de coaching alimentam-se com alimentos que têm gluten e não é por isso que estes não deixam de ter excelentes resultados.

Então porque razão se criou todo este alarido com os produtos “gluten free”?

Parece uma grande ambiguidade, ouvires falar em todo o lado nos produtos “Gluten free”, como o caminho alimentar para mais saúde, e agora eu digo-te exactamente o contrário.

Num estudo feito na Universidade de Virginia 8, concluio-se que as campanhas e boatos para evitar alimentos com glúten passam por grandes interesses comerciais. 9

Os alimentos “ Sem Gluten ” parecem ter ultrapassado em termos comerciais os alimentos “Sem Gordura” e os alimentos “Baixo em hidratos” como modas alimentares nos negócios de supermercado.

Em 2012 o mercado estimado nos EUA, para os alimentos sem glúten era superior a 2,5 bilhões de dólares e é esperado que este chegue a 5 bilhões em 2015. 10

A revista Time nomeou o dieta sem glúten, como a segunda dieta mais popular do ano de 2012 11.

Queres saber mais sobre o gluten? Vê este artigo, com um video que fala de mais coisas sobre o gluten: Ciência prova que dieta sem gluten pode ser perigosa

Acompanhamento Personalizado de Treino e Nutrição

​Com o programa XtraFit Coaching online, tens tudo o que precisas para ter sucesso. Recebe planos de treino e aconselhamento alimentar personalizado,de acordo com os teus objectivos e necessidades, acesso a uma plataforma online, onde tens conteúdo exclusivo e regular, como artigos, receitas saudáveis, videos exclusivos e muito mais....Carregue Aqui para Saber Mais!

Show 11 footnotes
  1. Whole grains and human health.Slavin J1. – Nutrition Research Reviews
  2. De Palma G, Nadal I, Collado MC, Sanz Y. Effects of a gluten-free diet on gut microbiota and immune function in healthy adult humansubjects. Br J Nutr. 2009 Oct;102(8):1154-60. Epub 2009
  3. A Gaesser, S S Angadi. Gluten-free diet: Imprudent dietary advice for the general population? J Acad Nutr Diet 2012 112(9):1330 – 1333.
  4. The American Journal of Gastroenterology, Fiber and Functional Gastrointestinal Disorders, Shanti Eswaran, MD;, Jane Muir, PhD; William D. Chey, MD, AGAF, FACG, FACP, Disclosures, Am J Gastroenterol. 2013;108(5):718-727
  5.  Miranda J, Lasa A, Bustamante MA, Churruca I, and Simon E. (2014) Nutritional differences between a gluten-free diet and a diet containing equivalent products with gluten.
  6. Siri-Tarino PW, Sun Q, Hu FB, and Krauss RM. (2010) Saturated fat, carbohydrate, and cardiovascular disease. Am J Clin Nutr. 91(3):502-509.
  7. Shephard SJ & Gibson PR. (2013) Nutritional inadequacies of the gluten-free diet in both recently diagnosed and long-term patients with celiac disease. J Hum Nutr Diet. 26:349-358
  8. Non-Celiac Gluten Sensitivity: Important Diagnosis or Dietary Fad?DANIEL F. McCARTER, MD, University of Virginia, Charlottesville, Virginia, Am Fam Physician. 2014 Jan 15;89(2):82-83
  9. Sapone A, Bai JC, Ciacci C, et al. Spectrum of gluten-related disorders: consensus on new nomenclature and classification. BMC Med. 2012;10:13.
  10. Marcason W. Is there evidence to support the claim that a gluten-free diet should be used for weight loss? J Am Diet Assoc. 2011;111(11):1786
  11. White MC. Why we're wasting billions on gluten-free food. Time. March 13, 2013. http://business.time.com/2013/03/13/why-were-wasting-billions-on-gluten-free-food/. Accessed September 14, 2013

Ricardo Vidal
 

Olá, eu sou o Ricardo Vidal, criador do XtraFit e sou um apaixonado por treino e nutrição. Eu acredito que todas as pessoas podem atingir o corpo dos seus sonhos, desde que orientadas no caminho certo. É isso que faço com este blog e com o meu programa de coaching online.

Carrega Aqui Para Deixares um Comentário em Baixo 0 Comentários

Deixa o Teu Comentário: